Últimas Postagens

domingo, 12 de junho de 2016

LOLA E O GAROTO DA CASA AO LADO, Stephanie Perkins | RESENHA

(imagem autoral)
Esse é o segundo livro da Stephanie Perkins que eu leio (o primeiro foi Anna e o Beijo Francês, que eu gostei muito, diga-se de passagem). Como já tinha lido algo dela, pude comparar e confesso que preferi o primeiro. Não que esse seja ruim nem nada disso. Tem toda aquela previsibilidade que nós conhecemos bem e eu até gosto de livros assim (não é a toa que eu sou fã de Nicholas Sparks), mas não me senti conectada aos personagens como me senti com Anna e Beijo Francês e demorou um pouco pra leitura fluir.

Trata-se de um romance adolescente em que Lola, a personagem principal, é uma estudante do ensino médio que tem um estilo próprio (a foto da capa não faz jus às descrições no livro) e que sonha em ser designer de moda e tem muito talento pra isso.

Ela vive com os seus dois pais que, na verdade, são adotivos por motivos de: mãe sem juízo e pai ausente. Essa parte é um pouco dramática, mas não tem muita ênfase na trama. Na verdade, só a mãe que acaba aparecendo em determinado momento, mas o relacionamento dela com seus pais adotivos é o que mais aparece, já que é com eles que ela mora e a eles que Lola vê como família.

A menina namora Max, um cara bem mais velho, super descolado e que canta e toca numa banda de rock. Não que os pais dela aprovem 100% esse namoro, mas é melhor que ela esteja com ele de baixo das vistas do que pelas costas, não é mesmo? Apesar de serem super protetores, Nathan e Andy, autorizam (mesmo odiando) o namoro, mas sempre deixam bem claro o que pensam.

Lola gosta do namorado e da forma como ele a trata, pois, mesmo sendo mais nova, ela se sente lisonjeada em tê-lo como namorado. Por ter uma personalidade diferente e que se estampa através do figurino, literalmente, que ela usa, Lola é vista praticamente como um álien pelos colegas da escola, que zombam dela sempre que podem. Todos com exceção de uma pessoa - Lindsay - sua melhor amiga meio nerd que é fissurada por livros e filmes de suspense e que, ao que tudo indica, vai acabar sendo uma detetive quando crescer.

A vida de Lola Nolan vai muito bem, obrigada, até o dia em que os gêmeos Calliope e Cricket Bell, seus vizinhos do lado, voltam a morar ali.
(imagem autoral)
No início nós não sabemos ao certo o que pode ter acontecido pra que ela se desespere e fique tão nervosa com a notícia do retorno do casal de irmãos e isso só vai sendo explicado aos poucos porque, na verdade, ela não gosta de falar no assunto e evita até mesmo pensar sobre isso - o que acaba nos deixando no escuro, já que a história toda é narrada por ela.

O nervosismo da protagonista é evidente para os leitores, assim como o é para o seu namorado, que percebe que há algo de errado acontecendo mas não sabe exatamente o que é, já que a adolescente esconde dele a existência de Cricket (que é o verdadeiro motivo de sua aflição), e se concentra em colocar a culpa do seu comportamento estranho em Calliope.

Durante a narrativa descobrimos que antes da mudança dos irmãos por conta da carreira promissora de Calliope, os três vizinhos eram amigos muito próximos e o motivo da abrupta ruptura entre eles é o que rege o enredo.

- Sobre os irmãos:


Calliope - o tipo perfeitinho e mimado que está acostumada a conseguir tudo o que quer e que detém a atenção da família. Ela, desde muito nova, mostrou-se habilidosa em patinação artística e se tornou mundialmente conhecida. Por conta da agitação dos torneios e campeonatos, a família vive viajando e se mudando para acompanhar a estrela da família.

Cricket - o nerd. Com uma inteligência que se destaca desde criancinha, ele é o inventor da família e sempre se orgulhou disso... Pelo menos, se orgulhava até descobrir que o nome da família era meio que... uma farsa. O brilho da irmã ofuscava Cricket e, como ele a amava, se contentou em ser deixado em segundo plano para apoiar a carreira profissional da irmã e dar a ela todo o suporte de que precisava para enfrentar os desafios da vida competitiva que levava.

- Minhas Considerações:


Como o esperado desse tipo de livro, a trama não possui grandes reviravoltas nem altos e baixos... Não exige grande grau de concentração para acompanhar a leitura e nem nada do tipo. Como deixei evidente no início da resenha, dos dois da autora, me afeiçoei mais ao primeiro livro (tanto à história em sim quanto aos personagens), mas indico Lola e o Garoto da Casa ao Lado por ser leve, bem no estilo adolescente e rápido. Como a maioria dos livros desse gênero, ótimo para curar ressacas literárias ou para intercalar com outros livros mais densos.

3 comentários:

  1. Oi oi,

    eu amo os livros dessa autora! Como você disse, são romances pouco complexos, bem adolescentes, mas bem fofos e divertidos e, por isso, valem a leitura!

    Beijos!
    Participe do sorteio de um kit de Mimos da Editora Arqueiro
    http://www.mademoisellelovesbooks.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Luciana!
    O livro é bem juvenil, né?! Mas até que gosto desses romances adolescentes fofos. Eu já li "Anna e o beijo francês" e, pela sua resenha, acho que ele também seria o meu preferido entre os dois.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir